Índice

Salmos 74

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150

, :
, ; , .
1 Ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra o rebanho do teu pasto?
, -- , ;
-, .
2 Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antigüidade, que remiste para ser a tribo da tua herança, e do monte Sião, em que tens habitado.
, ; - . 3 Dirige os teus passos para as perpétuas ruínas, para todo o mal que o inimigo tem feito no santuário.
, ; . 4 Os teus inimigos bramam no meio da tua assembléia; põem nela as suas insígnias por sinais.
, ; -, . 5 A entrada superior cortaram com machados a grade de madeira.
(), -- , . 6 Eis que toda obra entalhada, eles a despedaçaram a machados e martelos.
, ; , -. 7 Lançaram fogo ao teu santuário; profanaram, derrubando-a até o chão, a morada do teu nome.
, ; -- . 8 Disseram no seu coração: Despojemo-la duma vez. Queimaram todas as sinagogas de Deus na terra.
, : - ; -, -. 9 Não vemos mais as nossas insígnias, não há mais profeta; nem há entre nós alguém que saiba até quando isto durará.
- , ; . 10 Até quando, ó Deus, o adversário afrontará? O inimigo ultrajará o teu nome para sempre?
, ; () . 11 Por que reténs a tua mão, sim, a tua destra? Tira-a do teu seio, e consome-os.
, ; , . 12 Todavia, Deus é o meu Rei desde a antigüidade, operando a salvação no meio da terra.
; , -. 13 Tu dividiste o mar pela tua força; esmigalhaste a cabeça dos monstros marinhos sobre as águas.
, ; , . 14 Tu esmagaste as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.
, ; , . 15 Tu abriste fontes e ribeiros; tu secaste os rios perenes.
, - ; , . 16 Teu é o dia e tua é a noite: tu preparaste a luz e o sol.
, - ; , . 17 Tu estabeleceste todos os limites da terra; verão e inverno, tu os fizeste.
---, ; , . 18 Lembra-te disto: que o inimigo te afrontou, ó Senhor, e que um povo insensato ultrajou o teu nome.
- , ; , - . 19 Não entregues às feras a alma da tua rola; não te esqueça para sempre da vida dos teus aflitos.
: -, . 20 Atenta para o teu pacto, pois os lugares tenebrosos da terra estão cheios das moradas de violência.
- ; , . 21 Não volte envergonhado o oprimido; louvem o teu nome o aflito e o necessitado.
, ; -, -. 22 Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o insensato te faz continuamente.
-, ; , . 23 Não te esqueças da gritaria dos teus adversários; o tumulto daqueles que se levantam contra ti sobe continuamente.

Índice

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150