Índice

Salmos 94

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150

- ; . 1 Ó Senhor, Deus da vingança, ó Deus da vingança, resplandece!
, ; , -. 2 Exalta-te, ó juiz da terra! dá aos soberbos o que merecem.
- : -, . 3 Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios exultarão?
; , - . 4 Até quando falarão, dizendo coisas arrogantes, e se gloriarão todos os que praticam a iniqüidade?
; . 5 Esmagam o teu povo, ó Senhor, e afligem a tua herança.
; . 6 Matam a viúva e o estrangeiro, e tiram a vida ao órfão.
, -; -, . 7 E dizem: O Senhor não vê; o Deus de Jacó não o percebe.
, ; , . 8 Atendei, ó néscios, dentre o povo; e vós, insensatos, quando haveis de ser sábios?
, ; - , . 9 Aquele que fez ouvido, não ouvirá? ou aquele que formou o olho, não verá?
, : . 10 Porventura aquele que disciplina as nações, não corrigirá? Aquele que instrui o homem no conhecimento,
--, : - . 11 o Senhor, conhece os pensamentos do homem, que são vaidade.
, - ; . 12 Bem-aventurado é o homem a quem tu repreendes, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei,
, -- . 13 para lhe dares descanso dos dias da adversidade, até que se abra uma cova para o ímpio.
, - ; , . 14 Pois o Senhor não rejeitará o seu povo, nem desamparará a sua herança.
--, ; , --. 15 Mas o juízo voltará a ser feito com justiça, e hão de segui-lo todos os retos de coração.
- , -; - , - . 16 Quem se levantará por mim contra os malfeitores? quem se porá ao meu lado contra os que praticam a iniqüidade?
, -- , . 17 Se o Senhor não tivesse sido o meu auxílio, já a minha alma estaria habitando no lugar do silêncio.
-, ; , . 18 Quando eu disse: O meu pé resvala; a tua benignidade, Senhor, me susteve.
-- , . 19 Quando os cuidados do meu coração se multiplicam, as tuas consolações recreiam a minha alma.
, ; -. 20 Pode acaso associar-se contigo o trono de iniqüidade, que forja o mal tendo a lei por pretexto?
, - ; . 21 Acorrem em tropel contra a vida do justo, e condenam o sangue inocente.
; , . 22 Mas o Senhor tem sido o meu alto retiro, e o meu Deus a rocha do meu alto retiro, e o meu Deus a rocha do meu refúgio.
, -- ;
, .
23 Ele fará recair sobre eles a sua própria iniqüidade, e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor nosso Deus os destruirá.

Índice

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150