Todo o Michnê Torá | Voltar | Glossário
Capítulos:
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | Todo o livro

Capítulo 19

01 Todos os utensílios bélicos - não pode-se sair com eles no chabat. E, se sair, se forem utensílios que são usados como vestimenta, como armadura, capacete, ou botas, será isento; se sair com utensílios que não são usados como vestimenta, como lança, espada, arco, clava ou escudo * , será passível.

2 Não se pode sair com sandálias cravejadas, que foram cravejadas para fortalecimento. Mesmo no iom tob decretaram que não seja permitido sair com elas. Mas, permite-se sair com cinturão no qual hajam partes de prata ou de ouro, como os reis costumam fazer, por ser enfeite, e tudo o que é enfeite, é permitido. Isto, porém, desde que não esteja distenso, para que não caia no "rechut ha-rabim", e venha a portá-lo.

03 Anel sobre o qual haja selo, é enfeite masculino, e não feminino; e, se não tiver selo, é enfeite feminino, e não masculino. Portanto, uma mulher que sair com um anel no qual haja selo, e o homem que sair com um que não o tenha, são passíveis. E, por que razão são passíveis? - Afinal, retiraram não conforme a forma comum de portar! Por não ser costumeiro sair o homem com um anel que não lhe seja apropiado, ou a mulher, não é comum que saia com um anel em seu dedo, senão anel que lhe seja apropriado: pois às vezes ocorre ao homem dar seu anel a sua mulher para que o guarde em casa, e ela o coloca em seu próprio dedo, enquanto anda, e também a mulher entrega seu anel para seu esposo, em caso de conserto, para que o leve ao artífice, e ele o coloca em seu dedo até chegar na oficina do artífice, e portanto, acaba sendo que retiraram conforme é costumeiro, pelo que são passíveis.

04 Não saia a mulher com um anel no qual não haja selo, apesar de fazer parte de seus galaneios, por decreto: pois pode ser que o retire de seu dedo para mostrar às amigas, conforme sempre costumam fazer; mas, se sair com ele, é isenta. Quanto ao homem, é permitido que saia com anel que tenha selo, pois é enfeite, e não é comum que homens retirem anel para mostrar. E, o povo em geral tomou como costume não sair com anel nenhum.

05 Se a mulher sair com uma agulha perfurada, será passível; o homem, porém, será isento. Todavia, o homem que sair com uma agulha não perfurada, é passível; e, a mulher, isenta, pois faz parte de seus enfeites, e não é proibida, senão por decreto, pois pode retirar para mostrar às amigas. Esta é a regra: Todo o que sair com algo que não seja parte de seus enfeites, e não for forma de vestir-se, retirando aquela coisa conforme seja costumeiro o portar coisas, é passível. E, todo o que retirar algo que seja de seus enfeites, mas afrouxado, de modo que possa cair no recinto público, e possa terminar por portar no recinto público, e assim uma mulher que retire algo que costumeiramente saca para mostrar, são isentos. E, toda coisa que for galaneio, e não é comum retirar para mostrar, é permitido sair com ele. portanto, argolas que costumam colocar no braço ou na perna, podem sair com isto no chabat, desde que estejam ligados ao corpo, sem escape, pois não costumam mostrar, Assim, tudo o que se assemelhe a estes casos.

06 A mulher não pode sair com fios de lã, nem com fios de linho, nem tampouco com as fitas que lhe são presas à cabeça, pois pode retirar no momento em que efetuar "tevilá", e poderá transportar no "rechut ha-rabim". Nem tampouco com o "tzits" que usa entre os olhos, ou com enfeites faciais que pendem-se dele por sobre suas faces, caso não estiverem costurados um ao outro. Nem tampouco com o diadema de ouro que costuma colocar sobre sua cabeça, ou com com os grilhões que costumam usar as moças em seus pés, para não darem passos largos. Todos estes é proibido que saiam com eles, evitando que caiam e venham a trazê-los por suas próprias mãos.

07 Não pode sair a mulher com "qatela" ou com brincos de nariz, nem com recipiente de "plaiton" preso ao braço. Nem com bolsinha redonda na qual se coloca óleo de cheiro, que é a chamada “kokhêlet”. Nem com peruca que usa sobre sua cabeça para que pareça ter muito cabelo.Nem com "kabul" de lã que coloca em volta de seu rosto, tampouco com dente que coloca em sua boca, em lugar de um dente que caiu. Nem com dente de ouro que coloca sobre o dente empretecido, ou sobre o dente vermelho que se achar entre seus dentes. Dente de prata, é permissivo, por não ser reconhecível. Todos estes é proibido sair com eles, para que não os retire para mostrar às amigas.

08 Tudo o que proibiram os Sábios que se sai com aquilo para o rechut ha-rabim, é proibido que saia com o mesmo inclusive para um quintal que não disponha de 'erub, com exceção apenas de de "kabul" e peruca, com os quais permite-se que se saia para o quintal, para que não seja repudiada pelo esposo. Se sair com o recipiente de "plaiton" sem que haja nele especiaria alguma, é passível.

09 Pode a mulher sair com fios de cabelo presos à cabeça, pois a água penetra neles, sendo que não são impedimento para a "tebilá", pois não precisa retirar em caso de "tebilá", pelo que não é preciso que decrete-se proibição, pelo perigo de que os carregue pelo "rechut ha-rabim". Tanto faz que os fios sejam dela mesma, como de outra pessoa, como de animal. Mas, não saia uma velha com cabelo de menina, pois ser-lhe-á louvável, e pode ser que os retire para mostrar às amigas. Todavia, uma menina pode sair com cabelos de velha. Quanto a tecidos, todo tipo é permitido que se saia com ele sobre a cabeça.

10 A mulher pode sair com os fios de seu pecoço - pois não se enforca com eles, pelo que não impedem a "tebilá" - desde que não sejam coloridos, pois se forem, é proibido, pois pode ser que venha a mostrar às amigas. Pode sair a mulher com diadema de ouro, pois não é comum que se saia com isto senão as mulheres importantes, e não é costume delas tirar para mostrar. E, pode-se sair com "tzits" e com madeixas de ouro, se estiverem costurados na cobertura que leva sobre sua cabeça, para que não caiam. Assim, tudo o que a estes casos se assemelhe.

11 A mulher pode sair com o chumaço que usa em sua orelha, desde que esteja atado à orelha; e, com o chumaço que leva em sua sandália, desde que esteja atado à sandália; com o chumaço que usa para sua menstruação, mesmo que não esteja atado, e mesmo que lhe haja feito uma complemento para o manuseio, pois se cair não vai pegar e portar, por ser-lhe repugnante.

12 E, pode sair com uma pimenta ou com um pedregulho de sal, ou com qualquer coisa que coloque em sua boca para eliminar o mal hálito. Mas, não coloque a priori no chabat. Mulheres podem sair com palitos nas orelhas e com "ra'alôt" que levam no pescoço ou nas roupas, ou com xale cujas extremidades são presas por algo. E, pode unir as extremidades com pedra ou com noz, e sair; mas, não seja capciosa unindo-as com uma noz para levar para seu filho criança. De mesmo modo, não faça isto com o uso de uma moeda, pois é proibido portar a moeda; mas, se o fez, pode sair assim.

13 Qualquer pessoa pode sair com palito em seus dentes, ou em sua sandália para o "rechut ha-rabim"; mas, se cair, não o pegue. E, com chumaço ou absorvente sobre o ferimento, desde que não o haja envolvido com um fio ou com um barbante, pois o fio ou o barbante são importantes para a pessoa, mas não contribuem em nada para o ferimento. Pode-se sair com casca de alho, ou com casca de cebola sobre o ferimento, ou com um pano fino sobre o ferimento, e pode atá-lo e desatá-lo no chabat. Com bandagem, com curativo umedecido, e com pomada sobre o ferimento. E, com uma rocha por sobre a gota, com um óvulo de gafanhoto, com um dente de raposa, ou com um prego de um crucificado, ou com toda coisa que pensam que serve para fins medicinais - desde que os médicos digam que aquilo pode servir de ajuda.

14 A mulher pode sair com "ében tequmá" ou com o peso equivalente a ela, que pesou para usar com intenção medicinal. E, não somente uma gestante, senão toda mulher. pois pode ser que se engravide, e venha a abortar. E, é permitido sair com amuleto de especialista. E, que é amuleto de especialista? - todo aquele que já curou três pessoas diferentes, ou que a pessoa que o fez curou três pessoas diferentes com diferentes amuletos. Mas, se sair com um amuleto que não é de um especialista - é isento, pois retira-o como se fosse vestimenta. De mesmo modo - se alguém sair com tefilin, é isento.

15 Alguém que tenha um ferimento no pé, pode sair com uma sandália só, no pé saudável. Mas, se não tiver nenhum ferimento no pé, não pode sair com apenas uma sandália. Não saia o menor com sapato de adulto, mas pode sair com a túnica de um adulto. Não saia a mulher com um sapato frouxo, e nem com um sapato novo, com o qual não saiu uma vez durante o dia anterior. E, não pode o coxo sair com sua perna-de-pau. Sandálias de madeira, não pode-se sair com elas no chabat, por não ser seu uso um modo de vestimenta. Mas, se saírem, serão isentos.

16 Pode-se sair com "piqurin" e com "tsifa" que costumam usar na cabeça os que sofrem de furunculose. Em que caso? - se os tingiu e enrolou, ou se saiu com eles uma vez durante o dia antecedente. Mas, se não fez nada com eles, ou não saiu antes do chabat com eles, é proibido que saia usando-os.

17 Pode-se sair com um saco grosso, com "sagos", com "yeri'á", ou com "ĥamilá", por causa de chuva.Mas, não com com um baú, nem com uma caixa, e tampouco com uma esteira. As almofadas e travesseiros - se forem bem macios e suaves como as roupas - pode-se retirá-los colocados sobre a cabeça, como que vestido com eles; mas, se forem duros, sendo eles como carga, é proibido.

18 Pode-se sair com sinetes costurados à roupa, e o escravo pode sair com o carimbo de argila em seu pescoço, mas, não com o de metal, pois pode ser que caia e venha a portá-lo. Se a pessoa se envolver no talit, e dobrar de um lado e de outro, sobre seus braços ou sobre seus ombros - se teve por intenção que o fez para evitar que se rasguem ou que se sujem, está proibido. se, porém, os lados os reuniu para se embelezar segundo o uso costumeiro das pessoa do lugar, está permitido.

19 Se alguém sair com o talit dobrado sobre seu ombro, é passível. Mas, pode-se sair com o turbante sobre o ombro, mesmo que não tenha um fio atado ao dedo, e todo turbante que não possa cobrir sua cabeça e a maior parte de seu corpo, é proibido sair com ele. Se for o pano curto, mas não largo, pode amarrar as duas extremidades abaixo dos ombros, estando ela como cinturão, e é permitido sair com ele.

20 É permitido sair com talit em cujos lados hajam enfeites rendados, mesmo que os fios das rendas sejam longos, e mesmo que não sejam para embelezamento do talit. por serem nulas em relação ao talit, e não se lhe importa se existem ali, ou se não. Portanto, o que sair com o talit cujos "tsitsiot" não estiverem conforme a halakhá, é passível, pois os tsitsiot são importantes para si, e sua consciência está neles, até que complemente o que lhes faltar, e possam ser tidos como "tsitsit". Porém, o talit que tiver seus "tsitsiot" conforme a halakhá, é permitido sair com ele, tanto de dia como de noite. Pois "tsitsiôt" perfeitos não são carga, já que eles fazem parte do embelezamento da roupa e estão entre suas propriedades, assim como suas borlas; como isto, é a lei em tudo o que se assemelhe. Se os fios dos "tsitsiôt"colocados corretamente fossem carga - seria a pessoa que saísse vestido com talit até mesmo no chabat, pois nenhum preceito positivo há em cujo descumprimento não haja a penalidade de carêt, que possa tornar permissível profanar o chabat.

21 O alfaiate não pode sair com a agulha que costuma levar metida em sua roupa, nem o carpinteiro com o palito que costuma levar em sua orelha, nem o tecelão com chumaço de lã em sua orelha, nem o "soreq" com a graxa em seu pescoço, nem o "chulĥani" com o dinar que costumeiramente tem em sua orelha, e nem o pintor com a amostra que costuma levar em sua orelha. E, se saírem, são isentos, apesar de haverem saído conforme o modo de sair de suas ocupações profissionais, pois não se acham retirando como as pessoas costumam retirar.

22 O "zav" que sair com sua bolsinha, é passível, pois não há como retirar tal bolsa a não ser daquele modo. Mesmo que não precise da ação de retirar por si, senão somente o leva para que não se sujem suas roupas. Pois o trabalho que não for necessário por si próprio, é passível quem o faz.

23 Alguém que achar tefilin no chabat no "rechut ha-rabim", como deve proceder? - vestí-los conforme é o costumeiro, colocando o frontal na cabeça, e o braçal no braço. Entrando em casa, retira lá, sai e veste o segundo par, e entra novamente, até introduzir a todos eles. Se houverem muitos, e não fica do dia o suficiente para introduzir a todos eles pela forma de vestir, deve esperar ali pelo anoitecer, introduzindo-os na saída do chabat. Se for em época de "chemad", e tiver medo de permanecer a seu lado por causa dos gentios, deve cobrí-los, deixá-los, e ir-se.

24 Em caso de temor de ficar ali com eles até anoitecer, devido aos criminosos, pode pegar a todos de uma vez, e andar de pouco a pouco menos que quatro côvados, parando, ou passa a outra pessoa, e este a outra, até chegar ao quintal externo. Em que caso? - em que haja neles as correias, e estiverem atadas com nó próprio de tefilin, que é claro que são tefilin. Mas, caso as correias não estejam atadas, não deve se importar com eles.

25 Se achar um "sefer Torá", deve assentar-se e guardar, até que anoiteça. Em caso de periculosidade, pode deixá-lo ali, e ir-se. Se estiver em época de chuvas, enrole-se com uma pele, retorna e cobre-o, e entra enrolado com ele.

26 Não pode sair o alfaiate com sua agulha em sua mão, nem o escriba com sua pena, na véspera de chabat, perto do escurecer, para que não se esqueça e retire-os [consigo]. E, é obrigatório que toda pessoa revise suas roupas na véspera de chabat próximo ao escurecer, pois pode haver algo esquecido ali, e saia com ele no chabat. É permitido sair com os tefilin postos, na véspera de chabat, perto do escurecer, pois sendo que a pessoa é obrigada a mexer com os tefilin sempre, não vai se esquecer deles. Se esquecer, e sair com eles para o "rechut ha-rabim" ao lembrar-se que tem tefilin em sua cabeça, deve cobrir a cabeça até chegar em casa, ou no "bet ha-midrach".


Todo o Michnê Torá | Voltar | Glossário
Capítulos:
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | Todo o livro
Alguma pergunta? Consulte-nos!