Todo o Michnê Torá | Voltar | Glossário
Capítulos:
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | Todo o livro

Capítulo 22

01 O retirar pão do forno - apesar de não ser um trabalho - proibiram os Sábios que seja feito, evitando que alguém venha a panificar. Se alguém colocar pão no forno , e entrar o chabat, pode salvar o suficiente para três refeições, e chamar pessoas outras para que retirem para si. Apesar de que retirar o pão com espátula não seja [considerado] um trabalho, ao retirar não pode fazer com espátula, senão usando uma faca, para que faça uma diferenciação.

02 Por que proibiram os Sábios que se entre à casa de banhos no chabat? - devido ao fato de que os atendentes das casas de banho esquentavam a água no chabat, e diziam que foram aquecidas na véspera; por isto, decretaram que não entre ninguém às casas de banho no chabat, nem mesmo para suar. E, decretaram que não se lave todo o corpo com água quente, mesmo com água que haja esquentada na véspera. Mas, somente a face, as mãos e os pés, é permitido. Em que caso? - em água que fora aquecida pelo fogo - decreto, devido à casa de banho. Mas, se forem águas de Tiberíades, ou semelhantes, é permitido que se lave todo o corpo. E, é proibido que se banhe nas águas quentes que se acham nas cavernas, pois dentro delas há vapor, e virá a suar-se, sendo como a casa de banho.

03 É permissivo que alguém se aqueça diante de uma fogueira, saia, e lave todo seu corpo em água fria; mas, não lavar seu corpo todo em água fria para vir a aquecer-se perante a fogueira, pois achar-se-á mornando a água que está sobre si, sendo como se estivesse lavando todo seu corpo em água quente. Se alguém trouxer um cano de água e despejar na água quente, mesmo que seja água de Tiberíades, é tido como água que foi esquentada no chabat, e proibida para banho e para bebida.

04 Pode-se colocar um cântaro d'água perto da fogueira, se não for para aquecer, senão para que desapareça sua frialdade. De mesmo modo, pode-se colocar um vaso de óleo próximo à fogueira, para que se amorne, mas não para que se aqueça. Pode-se untar as mãos em água ou em óleo, e esquentar junto ao fogo, desde que a água que estiver sobre sua mão não chegue à caloria na qual uma criança tenra possa queimar-se. Pode-se aquecer uma roupa, e colocar sobre sua barriga no chabat.

05 Uma banheira de uma casa de banhos cheia de água quente, nela não se pode despejar água fria, pois achar-se-á aquecendo-a muito. De modo similar, não se pode despejar óleo, pois é como se o estivesse cozinhando. Mas, pode-se despejar água quente em uma banheira de água fria.

06 "Mê-ĥam" que haja sido esvaziado de sua água, é permitido despejar nele água fria, para que se faça morna. E é permitido despejar água quente em água fria, para que mornar, e água fria em quente; mas, desde que não seja a água quente de primeiro utensílio, pois esquenta demasiadamente. Similarmente, uma panela que estiver fervendo - mesmo que a houver retirado de sobre o fogo, não coloque nela tempero, mas pode colocar sal, pois o sal não se cozinha em fogo alto. Se, porém, despejar o conteúdo de uma panela para uma tigela, apesar de ela ainda estar fervente na tigela, pode colocar tempero, pois o segundo utensílio não cozinha.

07 Não se pode por de molho a ĥiltit, nem em água morna, e tampouco em água fria. Mas, pode-se colocar de molho em vinagre. E, caso haja sorvido dela no quinto e no sexto dia semanal, pode-se colocar de molho no chabat em água fria, e colocar ao sol para que se aqueça, afim de evitar que adoeça, se parar de sorvê-lo.

08 Algo que haja sido cozido na véspera de chabat, ou que haja sido deixado de molho em água quente antes do chabat, mesmo que esteja frio, pode-se colocar de molho em água quente durante o chabat. E, algo que seja frio por sua natureza, sem que haja sido colocado jamais em água quente, pode-se lavar com água quente no chabat, se não isto o término de seu trabalho. Mas, se for o término de seu trabalho, não se coloca em água quente no chabat.

09 É permitido aquecer no chabat, apesar de ser proibido aquecer em algo que seja aquecimento gerado por fogo.

10 Pode-se mesclar água, sal e óleo para meter na mistura o pão, ou para despejar no cozido, desde que faça pequena quantidade; mas, grande quantidade, é proibido, pois parece que está fazendo um dos trabalhos de cozinhamento. De mesmo modo, não se pode fazer salmoura forte, que é dois terços de sal em um terço de água, pois é como se estivesse fazendo molho para peixe. É permitido salgar ovo, mas nabo, e semelhantes, é proibido, pois é semelhante a quem faz conservas no chabat, e fazer conserva no chabat é proibido, pois é como cozinhar. Mas, é permitido meter o nabo e semelhantes no sal, e comer.

11 É permitido misturar vinho, mel e pimentas no chabat, para fim alimentício; mas vinho, água e óleo de afarsemon, é proibido, por não ser alimentação de pessoas saudáveis. Assim, tudo o que se assemelhe.

12 Mostarda amassada desde a véspera de chabat, no chabat pode amassar, tanto com a mão como com utensílio, e colocar nela mel. Mas, não pode amassar, senão misturar. Alho amassado desde a véspera de chabat, no dia seguinte pode colocar trigo em grão. E, não pode amassar, senão misturar.

13 Se alguém retirar um fio de cabelo do corpo de alguma pessoa, será passível por tosquia. Portanto, é proibido lavar as mãos em algo que cause a depilação seguramente, como por exemplo a "ahla". É permitido esfregar as mãos em pó de olíbano, em pó de pimentas, em pó de jasmin, e semelhantes sem temer que depilem sua mão, pois não tem intenção. Se mesclar algo que seguramente depila com algo que não depila com certeza, se a maior parte for do não depilante, pode-se esfregar nele as mãos. Se não, é proibido.

14 É proibido olhar-se em espelho metálico no chabat, por decreto: pode ser que faça cair nela fios fracos do cabelo, e mesmo que estiver presa a uma parede. Mas, no que concerne a um espelho não metálico, é permitido, e mesmo que não esteja presa a uma parede.

15 Quem lavar tecidos é passível por embranquecer fios de tecido. Se alguém torcer um vestuário, será passível por estar lavando. Portanto, é proibido introduzir forçadamente uma tira de pano, um chumaço ou semelhantes na boca de uma jarra, para lacrá-la, para que não venha a torcer. Não é permitido limpar-se a si mesmos com algo esponjoso, a não ser que tenha um local próprio para o segurar, que evite que o torça. Não se cobre um barril de água, ou semelhante, com um pano que não seja separado especialmente para ele, e é proibido por decreto, para que não venha a torcer.

16 Caso se quebre um barril no chabat, pode salvar dele para si o que precisar para o chabat, para si e para seus hóspedes. A condição única, é: que não se molhe no vinho, ou se engordure no óleo. Pois, se vier a fazer como o que é costumeiro durante a semana, poderá acabar por torcer. Como pode salvar o conteúdo dela? - deve trazer um utensílio e colocar sob ele, mas não um utensílio recipiente, e outro que se junte a este, pois decretaram: pode ser que acabe por portar um utensílio pelo "rechut ha-rabim". Caso repentinamente hajam novos hóspedes, pode então trazer de sua casa um outro utensílio, que seja recipiente, outro utensílio que se ligue ao primeiro. E, não pode coletar, e depois convidar visitantes, senão convidar primeiro, para depois coletar. Mas, se mudar algo nisto, é permitido.

17 A lama que se prender à vestimenta, pode-se esfregar desde o interior da roupa, mas não em seu lado externo, por decreto, pois pode ser que acabe por lavar. E, pode raspar com a unha, sem se preocupar por estar embanquecendo-o. Quanto ao turbante, é proibido esfregá-lo, por estar embranquecendo-o; mas, esfregar a túnica, é permitido, pois não tem intenção em embranquecer, senão de amolecer.

18 Se o sapato ou a sandália se sujar com lama ou com excremento, é permitido esfregar com água, mas não lavar, pois é proibido. Não se pode rapar - nem sapatos, nem sandálias - mas, pode-se untar e limpar os que forem envelhecidos. Travesseiro ou cobertor sobre o qual estiver excremento ou imundície, pode-se limpar com um trapo; e, se for de couro, pode despejar água até que se desfaça.

19 Se alguém sujar sua mão com lama, pode esfregá-la na cauda de um cavalo, de uma vaca, ou em uma toalha dura feita para que a ela se prendam os espinhos, mas não em uma toalha que se usa para enxugar as mãos, para que não se ache fazendo conforme faz nos dias semanais, e chegue a lavar a toalha .

20 A pessoa que se lavar em água, pode enxugar-se com sua toalha e levá-la em sua mão, sem se preocupar com torcer. Se caírem suas roupas em água pelo caminho, pode andar com as mesmas, sem se preocupar que pode estar torcendo. Mas, é proibido estendê-las, e mesmo dentro de sua própria casa, por decreto: pode ser que alguém veja e diga: "Aquele fulano lavou sua roupa no chabat, e agora estende para que se seque!" E, toda coisa que proibiram os Sábios por "marit ha-'áin", é proibido mesmo em um quarto dentro de outro, dentro de outro e dentro de outro é proibido.

21 Dois poços de purificação lado a lado, uma por sobre a outra, pode-se retirar o lacre da cavidade entre elas, para enchê-las, e colocar o lacre de volta, pois não chegará a torcer, pois sua intenção é que saia a água. Pode-se lacrar um cano com pano, e com toda coisa que possa ser portada, para que não se derrame a água sobre os alimentos ou sobre os utensílios; todavia, não se pode lacrar o cano para que não desça a água para dentro do poço, pois pode vir a torcer quando empurra apertadamente, pois o pano se encontra na água.

22 É proibido consertar a manga da veste, dobrando-as fracionalmente, como se faz nos dias semanais, quando se as lava. Tampouco dobra-se roupas no chabat pela mesma forma que se dobra nos dias semanais quando forem lavadas. E, se não tiver outra roupa para trocar, é permitido dobrar, estender e vestir, para que se adorne com tal roupa no chabat, com a condição de que a roupa seja branca, e nova, pois se amassa e se suja com facilidade. E, quando a dobrar, não o faça senão uma pesssoa só, mas dobrar em conjunto de duas pessoas é proibido. Costurar, é uma das ações raízes

23 "Tingir" é uma das ações-raízes. Portanto, é proibido às mulheres passar cosméticos sobre a face, pois estará tingindo. Costurar é uma das ações raízes - pelo que é proibido encher o travesseiro ou a almofada quando são novos, no chabat; decretaram os Sábios, pois pode acabar por costurar. Mas, quanto às fibras de algodão que caírem de um travesseiro, ou de uma almofada, pode-se devolver a eles no chabat.

24 Rasgar é uma das ações proibidas; portanto, alguém cuja roupa se enrosque em espinhos, deve separar modestamente, sendo escrupulosamente cuidadoso para evitar que se rasgue. Se rasgaram-se, não é passível de nada, pois não teve intenção. E, é permitido vestir roupas novas, e se rasgarem-se, não se dá importância a isto. Pode-se quebrar a noz com um trapo, sem preocupar-se que venha a se rasgar.

25 A pessoa que encaixa, é passível por construir. Portanto, as portas que são presas ao chão, não se pode tirar, nem tampouco colocar de volta, por decreto: pode ser que venha a encaixar. Mas, porta, aparador, caixa e um grande armário, e as demais portas de objetos, podem ser retirados, mas não colocados de volta. Se escapar o gonzo inferior, pode-se empurrar de volta a seu lugar, e no Templo pode-se inclusive colocá-lo de volta; mas, o superior, é proibido colocar de volta em todo lugar, por decreto: pode ser que venha a encaixar.

26 Não se alonga o cabelo, nem tampouco pode-se avolumá-lo, por ser parecido como construir. Não se pode reencaixar um candelabro montável, nem tampouco cadeira ou mesa de encaixe, e tudo o que se assemelha, pois parece com construir. Mas, se reencaixar, é isento, pois não há construção em utensílios, nem destruição. Mas, se estiver apenas frouxo, pode-se reencaixar. Não se pode recolocar a vértebra do recém-nascido de volta a seu lugar, uma junto à outra, por ser parecido com construção.

27 Quem faz uma tenda permanente, é passível por construir. Portanto, não se arma uma tenda temporária a priori, nem tampouco pode-se desarmar uma tenda temporária, por decreto: pode ser que venha a armar ou desarmar uma tenda permanente. Porém, é permissivo acrescentar uma tenda temporária no chabat. Como? - um manto que estiver estendido sobre colunas ou sobre muros, e desde antes do chabat, estava enrolada - se restava dele um têfaĥ esticado - pode-se esticar todo ele no chabat, até que se faça uma grande tenda. Assim, tudo o que se assemelhar a isto.

28 Não se pendura mosquiteiro [no chabat], pois é feito sob ele uma tenda temporária. Mas, permite-se colocar uma uma cama, cadeira ou um banco, pois apesar de estar sendo produzida uma tenda sob eles, não é o método comum de fazer-se tenda, nem permanente, nem temporária.

29 Toda tenda inclinada na qual não haja um “têfaĥ” nem a largura de um “têfaĥ” junto ao teto em menos de três “têfaĥim”, é tenda temporária, e o que a fizer a priori no chabat, será “patur”. O manto duplo no qual hajam fios nos quais esteja pendurado desde a véspera de chabat, é permitido incliná-lo. Igualmente, a cortina: é permitido inclinar, e é permitido retirar.

30 Cobertura de leito de recém-casados que não tenha em sua parte superior um “têfaĥ”, nem a largura de um “têfaĥ” junto ao teto em menos de três “têfaĥim”, por haver sido feita especialmente para isto, é permitido incliná-la e é permitido retirá-la, desde que não esteja elevada acima do leito um “têfaĥ”. A cobertura da janela - quando for feito especialmente para este fim - apesar de não estar atado nem pendurado, é permitido cobrir com ela a janela.

31 Chapéu que se faz sobre a cabeça, que tem aba ao redor e faz sombra como uma tenda sobre o que o usa, é permitido usá-lo; mas, se retirar dos indumentos em torno da cabeça, ou em frente ao rosto como tenda, estando atarracado na cabeça, e a aba muito dura como um teto, é proibido, pois achar-se-á fazendo uma tenda temporária.

32 Quem inclinar uma cortina ou semelhante, precisa ter cuidado que não esteja fazendo uma tenda ao incliná-la. Portanto, se for uma cortina grande, podem pendurá-la duas pessoas, não uma pessoa sozinha. E, se for um mosquiteiro que disponha de teto, não pode-se esticá-la nem mesmo em número de dez pessoas. Isto, por ser impossível que não se eleve um pouco do chão, tornando-se uma tenda temporária.

33 Ao usar um pano que usar para cobrir a boca de um barril, não cubra-a toda, pois far-se-á uma tenda. Porém, pode cobrir parcialmente. Se coar com “kefifá mitsrit”;, não levante-a da borda do utensílio um “têfaĥ”, para que não se faça uma tenda temporária.


Todo o Michnê Torá | Voltar | Glossário
Capítulos:
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | Todo o livro
Alguma pergunta? Consulte-nos!