| A Torá Oral | Todo o Michnê Torá | Glossário |
| cp 2 | cp 3 | cp 4 | cp 5 | cp 6 | cp 7 | cp 8 | cp 9 | cp 10 | cp 11 | cp 12 |

Capítulo 1


, ; , . : , , , -- , . , , , . 1 Nos dias de Enos cometeram os seres humanos um grave engano, ao entorpecer-se o conselho dos sábios daquela geração, sendo o próprio Enos dentre os que vieram a cometer tal engano. Era este seu erro, ao dizerem: "-Já que Deus criou os astros e as esferas para através deles governar o mundo, designando seu lugar no alto, dando-lhes [através deste feitio] honra, estando eles servindo-O, dispõem eles de mérito para que sejam louvados e enaltecidos por nós [os seres humanos]! Esta é a vontade de Deus, Bendito é Seu Nome, dar grandeza e honrar àquele que der-Lhe grandeza e honra, assim como um rei busca a honra de seus servos e dos que se levantam perante si [para o servir], e esta é a forma de honrar de um rei!"

, , , , -- , . , . 2 Havendo concebido tal forma de pensar em seus corações, empeçaram a construir templos [lit. palácios] para os astros, imolando-lhes sacrifícios, louvando e engrandecendo por palavras [ou seja, orações], curvando-se por terra perante eles, no intento de conseguir alcançar a mercê de Deus através deste seu mau proceder. Este fora o princípio da idolatria.

, . " , . . ." ( ,-)--, ; , . 3 Assim dizem os idólatras, os [verdadeiros] conhecedores dos dogmas [de cada forma idolátrica], não que não existe um Deus além de tal astro. Isto é o que dissera o profeta Jeremias: "Quem não Te temerá a Ti, ó Rei das nações?..." - Jr 10:7,8. Quer dizer: "-Todos estão cônscios de que Tu unicamente és Deus, porém seu erro e estultície é pensar que tal coisa vã é vontade Tua!"

[] , , : , , , -- . , . 4 Posteriormente, havendo passado muito tempo, levantaram-se falsos profetas entre os seres humanos, dizendo que foram ordenados por Deus que lhes dissera: "-Deveis servir a tal astro!", ou: "-Todos os astros!", e: "-Sacrificai a ele, e deitai-lhe vinho sobre o altar por tal forma, construí para ele um templo, e criai uma escultura com sua imagem para curvar-se perante ela - todo o povo: as mulheres, as crianças e todos os demais do povo!" - inventando por sua própria imaginação uma imagem, dizendo-lhes ser esta a imagem do tal astro, e que fora-lhe transmitida por intermédio de sua profecia.

, ; , . , ; , . 5 Principiaram assim a construir imagens nos templos e sob as árvores, reunindo-se e adorando-as, dizendo a todo o povo que tal imagem tem a capacidade de fazer o bem e o mal, sendo apropriado servi-la e temê-la. Diziam seus sacerdotes que por tal idolatria se multiplicariam e obteriam êxito em seus feitios, e que deveriam fazer assim e assim, e ser-lhes ia proibido agir assim e assim.

, , , , , . , , , . 6 Empeçaram então outros mentirosos a levantar-se e dizer que a própria esfera astral ou determinado anjo lhes falara, dizendo-lhes: "-A mim servireis através disto e daquilo que fareis!" - fazendo-os saber qual a forma de servi-la: "-Assim devereis fazer, e tal não fareis!" Tal se espalhara por todo o mundo, que servissem às ditas formas por distintas espécies de culto, sacrificando-lhes e prostrando perante elas.

, , : , , , . 7 Havendo passado muito tempo, tornara-se esquecido o Nome Glorioso e Temível de todo o Universo e de sua consciência, sem que dEle tomassem conhecimento, estando todo o povo, incluindo mulheres e crianças, sem conhecimento senão das ditas imagens de madeira e pedra, e do templo construído, segundo foram ensinados desde sua pequenez em concernência ao prostrar e servir, e ao jurar por seus nomes.

, . , , , . , , , . 8 [Também] os sábios que havia entre eles - como os sacerdotes e semelhantes - chegaram ao ponto de crer que não existe Deus - senão os astros e as esferas em honra das quais foram erigidas tais formas, segundo sua forma e aparência [determinadas nas imagens]. Quanto à Rocha dos Mundos - não havia já quem o conhecesse, senão pouquíssimos em todo o mundo, como Enoque, Matusalém, Noé, Sem e Éber. Assim prosseguia a existência do mundo , até que nascera seu sustentáculo: Abraão, nosso pai, sobre ele esteja a paz!

[] , , , : , ; , . , . 9 Assim que foi desmamado este poderoso, principiou a meditar, ainda pequeno, pensando dia e noite, perplexo: "-Como pode ser que esta esfera movimenta-se sempre, sem que haja quem a dirija? E, quem é a causa de seu movimento? Pois é impossível que se mova por si só!" Não dispunha de instrutor, tampouco de quem o fizesse saber de algo, ao contrário: mergulhado estava em Ur dos caldeus, entre os idólatras pascácios.

, . , , , ; , , , . 10 Tanto seu pai quanto sua mãe praticavam a idolatria, e com eles, também ele. Seu coração, contudo, buscava e alcançava compreensão, até chegar ao sendeiro da verdade, entendendo o fio da razão, através de seu correto raciocínio. E soube que há um Deus único, que é Ele quem determina o movimento da esfera, e Ele tudo trouxe à existência, e que não há outra divindade, a não ser Ele.

, , , ; , . 11 Soube que todo o povo se enganava, e qual a causa de seu engano, que fôra o fato de eles servirem aos astros e às imagens, até eximir a verdade de sua consciência. Aos quarenta anos conhecera Abraão a seu Criador.

, , , . , , , -- ; , , , . 12 Já que tomara conhecimento, e soube, começou a redarguir aos habitantes de Ur, e a polemizar com eles, dizendo-lhes que não era seu caminho a senda da verdade, na qual trilhavam. Destruía as imagens, e trazia ao conhecimento do povo que não é apropinquado servir a nenhuma deidade no mundo, senão ao Deus Universal, a Ele unicamente deve-se adorar e sacrificar, e deitar vinho sobre o altar, para que o conheçam todos os demais seres nas gerações futuras, e correto seria destruir todas as imagens, evitando que viesse a errar o povo, como os tais que procedem segundo sua imaginação, crendo não haver Deus, senão seus ídolos.

, ; , . , , . , , , "--- ', " ( ,). 13 Havendo-os vencido por suas provas, o rei buscara matá-lo, no qual sucedera-lhe um milagre, após o que emigrara para Ĥaran. Empeçara então a predicar a todo o povo por alta voz, fazendo com que todos soubessem que existe um Deus único para todo o mundo, ao qual deve-se prestar seviço de adoração. Peregrinava e pregava, juntando o povo de cidade em cidade, e de reino em reino, até chegar à terra de Canaan, sempre predicando, conforme está escrito: "...E, pregou lá em Nome de Ado-nai: Deus Sempiterno!" - Gn 21:33.

, , , . , . , ; , . 14 Vindo o povo a ajuntar-se para inquirir-lhe acerca de suas palavras, fazia com que cada um soubesse, de acordo com a capacidade de assimilação de cada um, trazendo-o de volta ao sendeiro da verdade. Até que uniram-se a ele multidões inefáveis, que são os conhecidos como "os da casa de Abraão". Inculcara em seus corações este grandioso princípio, e compilara sobre o mesmo livros. Transmitira o conhecimento dele a seu filho Isaac, e sentava-se Isaac a ensinar e a trazer o povo ao arrependimento. E, Isaac fê-lo saber a Jacob, nomeando-o instrutor, e também ele trazia ao arrependimento e retorno ao caminho reto a todos os que a ele se uníam.

, , ', ; , . 15 Quanto a Jacob, nosso pai, ensinara a todos seus filhos, e separara a Levi, dando-lhe a liderança, fazendo-o sentar-se a ensinar o caminho de Deus, e a guardar os mandamentos de Abraão, ordenando a todos seus filhos que jamais interrompessem dos filhos de Levi um encarregado em cada geração, afim de evitar que viesse o estudo a cair no oblívio.

, ', , -- , ; , . 16 Assim fortalecia-se isto cada vez mais entre os filhos de Jacob, bem como entre aqueles que a eles se juntavam, constituindo-se no mundo uma nação que era conhecedora de Deus, até que após passar muito tempo de estadia dos filhos de Israel no Egito, voltaram a aprender seus [maus] feitos, servindo a idolatria segundo eles, exceptuando-se unicamente a tribo de Levi, que permanecera fiel ao que foi recebido de seus antepassados, sendo que jamais a tribo de Levi, [como um todo,] exercera a prática da idolatria.

, ; , . ' , , , . 17 Sendo que por pouco o princípio que plantara Abraão fôra desarraigado, havendo tornado os filhos de Jacob para o engano das nações e suas ações inconscientes, por falta do conhecimento adequado. Porém, pelo amor de Deus por nós, e por guardar o juramento que jurara a Abraão, nosso pai, fez Moisés, nosso mestre, e maioral entre todos os profetas, enviando-o.

, ' , , . 18 Havendo profetizado Moisés, nosso mestre, e escolhido Deus a Israel por propriedade particular, coroara-os de mandamentos, e ensinara-lhes a [correta] forma de servi-Lo, fazendo-os saber qual o julgamento da idolatria, bem como dos que após ela erram.


| A Torá Oral | Todo o Michnê Torá | Glossário |
| cp 2 | cp 3 | cp 4 | cp 5 | cp 6 | cp 7 | cp 8 | cp 9 | cp 10 | cp 11 | cp 12 |