| A Torá Oral | Todo o Michnê Torá | Glossário |
| cp 1 | cp 2 | cp 3 | cp 4 | cp 5 | cp 6 | cp 7 | cp 8 | cp 9 |

Capítulo 10


, . -- , , ; : () ; () ; () ; () , ; () , ; () ; () ; () ; () ; () ; () ; () ; () ; () ; () , , , , , ; () , , ; () ; () ; () ; () . --, . 1 Assim, aprende-se que são vinte as coisas que cada uma delas pode causar a invalidade de um rolo da Torá, e este não pode ser lido em público:
1) se foi escrito sobre pele de animais impuros;
2) se foi escrito sobre pele de animal puro que não foi trabalhada;
3) se foi o trabalho da pele não designado a que fosse rolo da Torá;
4) se foi sua escrita não onde devia haver sido efetuada: em gevil no local onde era a carne, ou no qelaf no local onde antes era o pelo;
5) se foi escrito parte sobre o gevil, parte sobre o dokhsostos;
6) se foi escrito em dokhsostos;
7) se foi escrito sem sirtut;
8) se foi escrito com tinta preta que não subsiste;
9) se foi escrito em outras línguas [e não em hebraico];
10) se foi escrito por um gentio, ou similar a ele entre os pessulim;
11) se escrever os Nomes de Deus sem intenção prévia [em sua santificação];
12) se for falto mesmo de uma única letra;
13) se houver a mais mesmo uma única letra (cp 7:17);
14) se uma letra toca em sua vizinha;
15) se houver nele uma letra cuja forma foi desfeita, sendo impossível seu reconhecimento, ou tornara-se a letra parecida com outra letra qualquer, seja na escrita em si, seja em caso de orifício [causado na pele], ou de rasgo, ou falta de clareza [por qualquer motivo];
16) se distanciar ou aproximar demasiadamente entre uma letra e sua próxima, fazendo com que se pareça uma palavra a duas, ou duas a uma;
17) se mudar a forma das parchiôt;
18) se mudar a forma dos cânticos;
19) se escrever com a forma de cântico em todo outro trecho da Torá [que não seja cântico];
20) se costurar as folhas com fios de tendões de animais que não são permitidos;
Todas as demais coisas são por mitsvá, e não impedem [que o rolo esteja aprobativo].
-- , . , , , . , -- , : , . 2 Em concernência a um rolo de Torá aprobativo costuma-se agir a seu respeito com grande santidade, e com muitíssimo respeito. É proibido que se venda um rolo da Torá, mesmo que não tenha o que comer, e mesmo que tenha muitos sefarim, e mesmo que queira vender um rolo da Torá velho para comprar um novo. Não se vende um rolo da Torá jamais, a não ser por duas coisas: para estudar Torá usando seu valor, ou para tomar para si uma esposa por seu valor. E isto, somente se não tiver outra coisa para vender.
, -- , ; . , ; . 3 Um rolo da Torá que se envelhecera demasiadamente, ou que se danificara a ponto de tornar-se passul, é depositado em vaso de argila, e sepultado ao lado de sábios da Torá. Esta é sua genizá. Quanto aos lenços de sifrê Torá que envelheceram, faz-se deles indumentos funerários para o morto que não tem quem o enterre, e esta é sua genizá. Esta é sua genizá.

, ; , , , ; , : , ; , . , -- . , -- ; , . 4 O invólucro feito para que o rolo da Torá seja nele guardado, bem como os lenços, a arca ou a torre onde coloca-se o rolo da Torá, mesmo que esteja dentro de seu invólucro - assim como a cadeira preparada para que sobre ela se coloque o rolo da Torá, e haja sido colocado sobre ela - todos são "tachmicê qeduchá", e é proibido lançá-los fora: quando envelhecerem ou se quebrarem, devem ser colocados em genizá. Mas as "bimôt" sobre as quais se coloca de pé ao ler o rolo da Torá, e as lousas sobre as quais escreve-se para que aprenda a criança, não há nelas santidade, e o mesmo com respeito aos "rimonim" de prata e ouro, e similares, que fazem para enfeitar com eles os sifrê Torá, são "tachmichê qeduchá", sendo proibido que sejam tirados para uso profano, a não ser no caso de os haver vendido para que possa comprar com seu valor um rolo da Torá ou um ĥumach.
, ; , . , . , -- . -- , . 5 É permitido que se coloque um rolo da Torá sobre outro, e nem é necessário dizer que é permitido que sejam colocados sobre ĥumachim. E pode-se colocar Pentateucos sobre rolos de Profetas e Escrituras, mas não se coloca Profetas e Escrituras sobre Pentateucos, nem Pentateucos sobre rolos da Torá. Quanto aos escritos sagrados em geral, mesmo halakhôt e hagadôt - é proibido lançá-las fora. Os qemi'in nos quais hajam sido escritos assuntos oriundos de escritos sagrados, não pode-se entrar com eles ao recinto sanitário, a não ser no caso de ser recoberto por pele.
, , , -- , . , , , . , . , . 6 Não tome uma pessoa um rolo da Torá em sua mão e entre no recinto de banhos, ou no recinto sanitário, ou no cemitério, mesmo que este esteja enrolado em seus lenços e envoltos em seu invólucro. Não leia nele, até distanciar-se do túmulo quatro côvados, ou do morto, ou do recinto sanitário. Não segure [alguém] um rolo Torá estando desnudado. E, é proibido sentar sobre uma cama na qual haja um rolo da Torá.

-- , , , ; -- , . , ; -- , . 7 O quarto no qual haja um rolo da Torá, está proibido nele o relacionamento sexual, até tirá-lo, ou colocá-lo dentro de um utensílio, e este em outro que não é o seu próprio. Ou, até que levante uma parede provisória cuja altura seja dez tefaĥim, caso não disponha de outro cômodo. Todavia, se dispõe de outro cômodo, é proibido o relacionamento sexual, até que o transfira.

, , -- , : . , ; , . 8 Todos os impuros, mesmo as nidôt, e mesmo os gentios, são permitidos de segurar um rolo da Torá e ler nele, pois as palavras da Torá não podem ser atingidas pela impureza. Esta permissividade refere-se ao caso de que as mãos não se achem imundas, ou sujas de lama. Devem antes lavar as mãos, e após isto, podem tocá-lo.

, . , , ; , . 9 Todo o que vê um rolo da Torá ao andar, deve parar e estar de pé perante ele. Todos devem levantar-se, até que pare este que porta o o rolo da Torá ao levá-lo a seu lugar, ou até que desapareça de diante de seus olhos. Então, estão permitidos de sentar-se.

, , : , . 10 É mitsvá preparar um local especial para o rolo da Torá, conduzindo-se respeitosamente para com tal lugar e honrando aquele lugar demasiadamente. Os pormenores que acham-se nas Tábuas do pacto são os mesmos que se acham em cada rolo da Torá.

, , , . , . 11 Não se pode cuspir perante o rolo da Torá, nem descubrir perante ele as regiões genitais. Não se pode estirar as pernas perante ele, e nem colocá-lo sobre a cabeça, como uma carga, tampouco dar-lhe as costas, senão no caso em que este se achar acima de si dez tefaĥim.

[] -- , ; , . -- , . 12 Ao andar de um local para outro, levando consigo um rolo da Torá, não o deposite dentro de um saco, colocando-o sobre o lombo do burro e monte sobre ele. Se, porém, temer os ladrões, é permitido. Caso não haja ali motivo de temor, deve colocá-lo junto a si, junto a seu coração, estando montado sobre sua montaria, e assim viajar.

, , , "- , " ( ,); . , , ; , . 13 Todo o que se assenta perante um rolo da Torá, deve estar respeitoso, conduzindo-se temerosamente e com medo, pois este é uma testemunha fiel sobre cada pessoa no mundo, pelo que está escrito: "...ali esteja por testemunha contra vós!" Dt 31:26. Deve [cada pessoa] honrá-lo conforme seu poder. Disseram os Sábios da antiguidade: " - Todo o que profana a Torá, seu corpo será profanado pelos demais; todo o que honra a Torá, seu corpo será respeitado pelas pessoas!"


| A Torá Oral | Todo o Michnê Torá | Glossário |
| cp 1 | cp 2 | cp 3 | cp 4 | cp 5 | cp 6 | cp 7 | cp 8 | cp 9 |